2/02/08

Notícias do Brasil

02.02.2008 – 10:00

Diversidade é marca do Carnaval do Nordeste

A cidade do Recife sempre foi conhecida por seu Carnaval multicultural, de variados ritmos – do tradicional frevo, passando por samba, caboclinhos, rock, eletrônico e maracatu, mas também por fazer uma festa milionária de repercussão nacional. Este ano são mais de 500 atrações, se dividindo em mais de 16 pólos pela cidade. De igual proporção, o Carnaval em Salvador também chama atenção pelo tamanho da festa. Mais de 2 milhões de foliões são esperados durante os seis dias de Carnaval. Outras cidades do Nordeste, como Fortaleza, Natal e Maceió também descentralizaram a folia. A festividade assume nomes, estruturas e tipos diferentes em cada cidade: cortejos, blocos, troças, desfiles, trios e shows, mas o intuito de se divertir é o mesmo. O Brasil pára nesses quatro dias, e quem se programar pode preencher todos os minutos dos quatro dias, com as inúmeras atrações.

No Recife, cada um faz sua própria programação, dado o número de atrações escaladas pela Prefeitura. Ou escolhe o pólo favorito para brincar o Carnaval. São 16 pólos distribuídos pelos bairros e pelo centro da cidade. (Pólo Recife Multicultural, na Praça do Marco Zero, Pólo das Fantasias, na Praça do Arsenal da Marinha, Pólo Mangue, no Cais da Alfândega, Pólo de Todos os Frevos, na Av. Guararapes, Pólo das Agremiações – Av. Nossa Senhora do Carmo, Pólo de Todos os Ritmos, no Pátio de São Pedro, Pólo Afro, no Pátio do Terço e Pólo das Tradições, no Pátio de Santa Cruz) e nos bairros (Santo Amaro, Chão de Estrelas, Casa Amarela, Nova Descoberta, Alto José do Pinho, Várzea, Jardim São Paulo e Ibura). O Galo da Madrugada, maior bloco de Carnaval do mundo, arrasta seus mais de 1,5 milhão de foliões e fica armado durante os quatro dias de festa no centro da cidade, como anfitrião gigante para quem brincar no Recife.

No Marco Zero, no Bairro do Recife, o percussionista Naná Vasconcelos rege cerca de 600 batuqueiros de maracatu e recebe as cantoras Marisa Monte, Elza Soares e Lia de Itamaracá para abrir oficialmente a folia de Momo, nesta sexta-feira (1º). Elza e Lia ainda se apresentam em outros pólos, em shows individuais. Na mesma festa de abertura, a Orquestra Popular do Recife convida os artistas Claudionor Germano, Silvério Pessoa, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), China, Nonô Germano, Fábio Trummer, Fred 04 (Mundo Livre) e Ed Carlos para uma celebração ao som de frevo, maracatu e outros ritmos tradicionais. Silvério encerra a noite com o vocalista Paulo Miklos (Titãs) e o cantor francês-globalizado Manu Chao.

No ano em que o frevo pernambucano é homenageado no Rio de Janeiro no desfile da escola de samba Mangueira, o gênero confirma favoritismo no Carnaval da cidade. A Bateria da Estação Primeira de Mangueira se apresenta segunda-feira no Marco Zero e terça no bairro do Ibura. Novas cantoras sambistas ou influenciadas pelo gênero promovem uma invasão neste Carnaval do Recife. Mariana Aydar, Roberta Sá e Vanessa da Mata, nomes em ascensão, se unem à veterana Alcione na escalação « sambista ». A Marrom se apresenta no mesmo dia da Mangueira.

Além do Frevo, ritmo predominante em todas as ruas do Recife, outros gêneros promovem festa. O rock dá as caras em vários pólos, com o destaque para a apresentação da Nação Zumbi com os Paralamas do Sucesso, no Marco Zero, no domingo (as duas bandas também se apresentam individualmente em outros pólos). Para os amantes de sons mais alternativos, o festival Rec-Beat, no Cais da Alfândega, traz novos nomes da cena independente como Banda Ciné, Julia Says, Marina de la Riva, os veteranos do Pato Fu e a banda chilena Pânico, entre outras atrações. Quem não poderia faltar na festa são os artistas populares Alceu Valença, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Nena Queiroga, D. Selma do Coco e, sim, Reginaldo Rossi. O Rei do Brega canta no bairro de Santo Amaro no domingo.

Salvador já iniciou seu Carnaval desde a quinta-feira (31), em festa no Campo da Pronaica, bairro de Cajazeiras, o mais populoso da cidade. As chaves da cidade foram entregues ao Rei Momo Clarindo Silva, que causou polêmica em todo o País por ser o primeiro rei Momo magro da história. A atração mais esperada é mesmo o DJ inglês Fatboy Slim, mas a Prefeitura de Salvador também preparou vários circuitos e blocos alternativos de ritmos variados.

O folião que não tiver abadá ou camarote pode assistir aos desfiles na quinta, sexta e sábado. O acesso às arquibancadas será feito por ordem de chegada. Para os desfiles de domingo, segunda e terça-feira o folião precisará de convite. Foram disponibilizados 8.100 ingressos para os cinco dias de Carnaval; de quinta a terça-feira no circuito Dodô (Barra-Ondina) e de domingo a terça-feira no Osmar (Campo Grande-Avenida), onde as pessoas terão acesso gratuito de quinta a sábado, atendendo a ordem de chegada até a capacidade máxima.

No circuito Barra-Ondina, os blocos chamados « alternativos » iniciam o desfile no circuito do mar. Será feita uma homenagem a um dos orixás mais queridos de Salvador, Iemanjá. Serão montados palcos especiais para apresentação das mais diferentes vertentes musicais, do samba ao jazz e está prevista a presença de blocos e cortejos afros, a exemplo do Bloco do Jacu, que vai desfilar de Ondina até o bairro Rio Vermelho animando os foliões.

Nomes tradicionais do Carnaval de Salvador não poderiam faltar como Banda Eva, Olodum, Timbalada, Banda Cheiro de Amor, Margareth Menezes, Araketu, Chiclete com Banana e Ivete Sangalo. Além das centenas de atrações do chamado Circuito Oficial, os foliões terão a opção do Carnaval alternativo na cidade, com jazz, samba, reggae e rock. O Palco do Rock traz, entre outras bandas, novos nomes como The Honkers e Pastel de Miolos. No Peulorinho, as atrações representam estilos que vai do Pop ao Baile. A folia também acontece em seis bairros de Salvador.

São Luís espera 7 mil pessoas para seu tradicional Carnaval, que começa hoje (1º). O prefeito Tadeu Palácio (PDT) entregará as chaves da cidade ao Rei Momo e sua Corte. Logo depois será dado início ao « Carnaval de passarela », com uma estrutura semelhante às escolas de samba do Rio de Janeiro. As arquibancadas, cadeiras e camarotes são pagos, e ainda estão à venda no local. A Passarela do Samba, com 210 metros de extensão, receberá diversos blocos e escolas. Quem dá as boas vindas é o Tambor de Crioula, a partir das 18h.

O tema escolhido este ano foi « Os Tambores da Ilha da Terra da Encantaria », que homenageia a cultura afro-descendente, com peças decorativas que representam os costumes, danças, rituais e utensílios afros, inclusive com alguns elementos da cultura regional, como o tambor-de-crioula. Os blocos desfilam durante todo o Carnaval, com destaque para os mais tradicionais Fuzileiros da Fuzarca, Os Feras e Versáteis. Na Quarta-feira de Cinzas acontece a apuração dos concursos dos desfiles. Outra opção é curtir o « Carnaval tradição » nas ruas, com blocos que arrastam multidões pelas ruas de São Luís.

Teresina também tem sua passarela do samba e os desfiles começam no domingo (3). A passarela este ano tem 460 metros de extensão e capacidade para 8 mil pessoas. Quem organiza os desfiles é a Fundação Cultural Monsenhor Chaves, junto com a Liga das Escolas de Samba. No domingo, as tradicionais escolas se apresentam: Ziriguidum, Unidos da Saudade, Mocidade Alegre do Parque Piauí, Sambão, Brasa Samba e Skindô. Na segunda-feira (4) é a vez dos blocos alternativos, entre eles o Los Baleados, Coisa de Nego e Bloco da Paçoca, além do Gente que brilha (bloco organizado pela Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social). Na terça-feira (5), as escolas voltam a se apresentar e no dia seguinte acontece a apuração para escolher o campeão do Carnaval.

Em Natal, a Prefeitura preparou um carnaval em três pólos. A variedade de ritmos também dá o tom à festa. Tem o samba de Alcione, o frevo das Vassourinhas e o baiano Moraes Moreira. Os bonecos gigantes puxam o bloco Poetas, Carecas, Bruxas e Lobisomens pela praia de Ponta Negra. No Pólo Centro Histórico, maior atração é o Bloco das Quengas, que completa 25 anos. No Pólo da Redinha, Zona Norte de Natal, acontece o Carnaval mais popular com desfile de muitos blocos nos quatros dias, arrastando uma multidão pelas ruas do bairro, terminando sempre na Praça do Cruzeiro, com shows de cantores potiguares. A cidade, que neste ano homenageou a cultura indígena, traz ainda bailes de máscaras, desfiles de samba, caboclinho e frevo.

O Carnaval em Maceió ficará concentrado principalmente no bairro de Vergel do Lago e em Jaraguá e terá participação de escolas de samba, blocos de frevo e shows musicais variados. A festa começa no sábado (2), no Vergel, a partir das 20h, com o desfile da escola de samba Gaviões da Pajuçara, 13 de Maio e Jangadeiros. Ao mesmo tempo o Estacionamento de Jaraguá recebe as bandas Harmonia do Samba, Geléia e Batida Bleke. Outros pólos recebem atrações musicais e blocos, como Benedito e Bebedouro. Nos quatro dias de folia, mais shows são aguardados, entre eles o Bom de Bambas, O Rodo, Malandragem e Badalada.

João Pessoa é mais famosa por suas prévias carnavalescas, como o bloco Muriçocas do Miramar, que aconteceu este ano na chamada Quarta-feira de fogo, dia 30 de janeiro, e arrastou mais de 400 mil pessoas. Mas, seu « Carnaval Tradição », nas ruas da cidade promete animar os foliões durante três dias de folia, a partir de domingo. O nome « tradição » vem bem a calhar a essa festa: nos desfiles da avenida Duarte da Silveira se apresentam escolas de samba, clubes de orquestra, batucadas e as famosas La Ursas. A Prefeitura organiza concursos entre as agremiações com prêmios de até R$ 3 mil. O Carnaval tradição faz parte do calendário de festividades em João Pessoa e existe desde 1918.

Fortaleza faz sua festa em cinco pólos (Praia da Leste-Oeste, Praia de Iracema, João XXIII, Conjunto Ceará e Messejana). O Carnaval está cheio de opções: desfiles de escola de samba, maracatus, blocos e cordões, além de 37 atrações nacionais e locais. Os destaques são os cantores Alceu Valença, Pinduca e Antônio Nóbrega. Os artistas se apresentam sempre após os desfiles, na avenida Domingos Olímpio. Das bandas locais, o cantor Chico Pessoa, a banda Dona Zefa e o grupo Os Brasas se destacam entre os anfitriões. Este ano o Carnaval foi organizado através de um edital, além da realização do Fórum do Carnaval, que aconteceu desde setembro e teve dez reuniões, onde foi discutido o evento de maneira coletiva.

A idéia da Prefeitura de Aracaju é promover a folia nos bairros, com seus desfiles de blocos. O bloco Os Rasgadinhos é uma das maiores atrações da programação desse ano e promete arrastar mais de 3 mil pessoas, com direito a atrações como Chico César e Armandinho, Dodô e Osmar. Mais de 30 grupos animados pelas tradicionais orquestras, bandinhas, fantasias e bonecos gigantes vão arrastar os foliões até a quarta-feira de Cinzas em 21 pontos da cidade. Outros blocos famosos de Aracaju são As Margaridas, Bloco do Papelão e Os Caçarolas.

Gazetaweb, com Agência Nordeste